Heitor Gouvêa
menu

O que você não se importa em fazer domingo á noite?!

July 17, 2018

Ou melhor: em uma segunda de manhã? A resposta pra essas perguntas deveria ser a sua profissão.

Assim que o ano de 2017 começou, decidi correr atrás do meu sonho. O sonho de trabalhar como Pesquisador de Segurança da Informação. Decidi que começaria aos poucos, realizando alguns Freelas para amigos e colegas e simultaneamente escrevendo alguns Papers. Logo nos primeiros meses percebi que realmente era isso que queria para a minha vida, me senti apaixonado pela autonomia ao realizar meus trabalhos, pela necessidade de um pensamento estratégico e por muitas outras coisas.

Image

Até Dezembro de 2016 eu era o Desenvolvedor de Software, o carinha que fazia programas (me desculpem pela piadinha sem graça), mas quando virei Pesquisador de S.I, eu finalmente achei algo que me dava tesão. E eu descobri isso num domingo de noite.

Normalmente as noites de domingo não eram tão boas, eu apenas as dedicava para me preparar psicologicamente para enfrentar a semana de trabalho e estudos que estava por vir. Talvez seja assim para todo mundo, talvez todo mundo odeie os domingos assim como eu odiava.

Naquele domingo eu tinha prometido para um colega que avaliaria a segurança de um produto que ele estava prestes a lançar no mercado. Normalmente eu ficaria muito puto por ter que trabalhar domingo a noite, e mesmo assim ter que acordar cedo na segunda-feira e ir trabalhar.

Mas dessa vez foi diferente, dessa vez eu percebi que era isso que eu queria, eu sabia que “não era hora pra eu estar trabalhando”, mas nesse momento eu percebi que eu realmente estava certo de ter encontrado minha paixão profissional, eu me sentia confortável por estar fazendo aquilo, mesmo sendo em um domingo a noite.

Neste momento eu cheguei a conclusão que: para ter uma carreira de sucesso você tem que estar disposto a quebrar algumas “regras sociais”. Eu só encontrei minha felicidade profissional quando passei a não ligar para a hora ou dia que era. Eu só queria continuar com as minhas pesquisas. Eu não queria nem saber se era “errado falar sobre o trabalho” no jantar, ou se era “desrespeitoso mexer no celular”, se fosse algo sobre as minhas pesquisas, eu mexia.

Talvez este pensamento esteja errado, mas está funcionando comigo. Eu realmente acredito que este é o caminho para uma realização profissional.

E aí, o que você não se importa de fazer em um domingo a noite?


Heitor Gouvêa: com mais de 3 anos de experiência no campo da segurança da informação ofensiva, hoje atua de forma independente como Pesquisador de Segurança da Informação, além de ser o principal desenvolvedor do projeto Nipe, ferramenta responsável por garantir o anonimato a seus usuários, presente em várias distribuições Linux como: Black Arch, Weak Net e LionSec Linux.

Se tu acha que o escritor desse texto tem algum potencial, dá uma olhada nas outras coisas que eu crio. Tenho uma newsletter semanal sobre coisas possivelmente interessantes e até penso em criar um canal no youtube futuramente. Mas falando sério, assina a newsletter que é bem legal e esse é o jeito que a gente pode continuar trocando ideia.